Pages

Páginas

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

#AconteceNoMaurício



Bi Campeonato EMEF Maurício Goulart





Anualmente ocorre o evento “Concurso de Bandas e Fanfarras” que neste ano será no Céu Agua Azul aqui mesmo na Cidade Tiradentes/São Paulo.
Nossa escola vai participar?
Sim, nossa escola ir participar com a FAMAG (Fanfarra EMEF Maurício Goulart), participando do quesito Banda Marcial. Com a regência do maestro Maurício Celazar Fritoli.
O maestro ainda gostaria de esclarecer ao público do Blog que vão participar para ganhar em 1º lugar, tanto banda como linha de frente, mor e baliza: pois estamos ensaiando muito para fazer bonito.
Estamos aqui para convidar você e sua família para presenciar e acompanhar a nossa mais esperada apresentação. Contamos com sua presença.
Local: CEU Água Azul
Data: 21/09/2014
Horário de Inicio: 10h00



A equipe do Blog realizou uma pesquisa e olha só que descobrimos:
01. Como está sendo toda essa pressão?
A pressão só em cima dos alunos, porém o objetivo é de trazer o Bi Campeonato com a vaga garantida para a final deste Concurso de Bandas e Fanfarras no Município de São Paulo (a pressão é minha com os alunos).

02. Como os alunos estão se saindo?
A cada ensaio eles vão demonstrando que são um grupo campeão.

03. Deixe um recado no Blog.
Vamos que vamos! Em busca de nossos objetivos em sermos Bi Campeão e dar sempre o nosso show.
Equipe Blog do Maurício
(Rafael Pereira / Maria Gabriella)
Enzo Rodrigues
Nicollas Barbosa

domingo, 31 de agosto de 2014

#CantinhodaCultura

Cultura de Sergipe


Sergipe guarda em sua história e tradição muito das culturas portuguesa e africana, além de um dos mais ricos folclores do Brasil. São inúmeras as manifestações culturais que nos remetem ao passado e garantem, no presente, uma permanente interação entre as mais diversas comunidades responsáveis pela continuidade do nosso folclore. 
A seguir, você fará uma viagem pelo que há de mais belo na cultura popular sergipana.

FEIRA DE SERGIPE
Durante o evento, que ocorre anualmente no mês de janeiro na Orla de Atalaia, em Aracaju, os municípios sergipanos mostram o que há de melhor em cada deles. No local, há exposição de produtos artesanais e comidas típicas de cada região. O evento, também, tem vasta programação artístico-cultural, mostrando o rico folclore sergipano e o talento dos artistas locais.

Parafusos 
Conta-se que no tempo da escravidão, os escravos negros fugitivos saíram à noite para roubar as anáguas das sinhazinhas deixadas no quaradouro. Cobrindo todo corpo até o pescoço, sobrepondo peça por peça, nas noites de lua cheia saíram pelas ruas dando pulos e rodopiando em busca da liberdade. A superstição da época contribuiu para que os senhores ficavam apavorados com tal assombração - acreditando em almas sem cabeça e outras visagens - e não ousavam sair de casa.
Após a libertação, os negros saíram pelas ruas vestidos do jeito como faziam para fugir dos seus donos. Nasceram assim os parafusos.
Trajando uma sequência de anáguas, cantarolando, pulando em movimentos torcidos e retorcidos, um grupo exclusivamente de homens – representando os escravos negros – formam o grupo folclórico “Parafuso” da cidade de Lagarto.
Os instrumentos que acompanham o grupo são triângulo, acordeom e bombo.

Lambe-Sujo


Esse folguedo representa a luta entre negros dos quilombos (os "Lambe-Sujos") contra os índios (os "Caboclinhos") mandados pelos brancos para destruírem os quilombos.
Os "Lambe-Sujos" pintam os corpos de tinta negra, vestem-se com calções e gorros vermelhos. Como arma usam uma foice de madeira, símbolo do trabalho no canavial. Os "Caboclinhos" tem os corpos pintados de vermelho, usam cocares e saiotes de penas, pulseiras e colares e armam-se de arcos e flechas. Os "Caboclinhos" formam um grupo disciplinado, todos em fila dupla comandados pelo "chefe" ou "cacique", ao contrário dos "Lambe-Sujos", às carreiras pelas ruas, sob o ritmo agitado da batucada (timbau, pandeiro, cauíca, tambor, tamborim, bumbo e reco-reco).
Pela manhã, centenas de "Lambe-Sujos" saem pela cidade pedindo dinheiro, comida e bebida e sujando com tinta preta as pessoas que vão encontrando. Na parte da tarde acontece a encenação dos "combates" entre "Lambe-Sujos" e "Caboclinhos" após muita correria e longas discussões chamadas de "embaixadas". A festa termina com a derrota dos "Lambe-Sujos" e a prisão de seu "rei".
Esse folguedo representa a luta entre negros dos quilombos (os "Lambe-Sujos") contra os índios (os "Caboclinhos") mandados pelos brancos para destruírem os quilombos.

A Lenda do Zumbi
Zumbi foi o título do chefe dos rebelados escravos que se refugiaram no Quilomdo dos Palmares, na Serra da Barriga, em Alagoas. Em Sergipe, Zumbi é um negrinho que se confunde com o Saci, que aparece nos caminhos em meio à mata e é companheiro da Caipora, mas não usa a carapuça vermelha. 

     Anda nu ou quase nu, sempre procurando crianças que vão pegar frutas silvestres no meio do mato, para desorientá-las com seus longos e finos assobios, ou surrá-las, assim como já faz o Curupira. (infonet.com)
Queridos do Blog:
Na verdade, dentro da história da luta pela libertação dos escravos, Zumbi foi um grande herói e merece sempre ser lembrado. 
Nós, aqui do Blog, temos a certeza que se ele aparece nas matas e para ajudar as pessoas a encontrar a tão sonhada liberdade.
Viva ao Zumbi! Viva a cultura do Sergipe! Viva o nosso Folclore!!!

Equipe Blog do Maurício
(Evelyn)
Enzo Rodrigues

sábado, 30 de agosto de 2014

#TalentosdoMauricio


Talentos em desenho



Hoje nosso talento é o Abraão do 7ºB
esperamos que gostem!

Você se lembra do seu primeiro desenho?
Sim. Era bem estranho.

O que você mais gosta de desenhar?
Mangá.

Quem te ensinou a desenhar?
Aprendi sozinho.

Que carreira pretende seguir?
Quero ser policial e desenhista.

Qual seu maior sonho?
Ser desenhista.

Uma dica para quem quer começar a desenhar.
Comecem sempre pelos olhos.

O que você sente ao terminar um desenho?
Satisfeito e alegre.

                                                Você se acha muito criativo?                                                                                                             Não.                                                          

Bem galerinha, essa foi nossa entrevista com o Abraão, nosso desenhista!
Que ele possa criar muito para alegrar nossas vidas…

Equipe Blog do Maurício
(Laryssa / Vitória)
Nicollas Barbosa
Enzo Rodrigues 

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

#Metrópole


A Gata Ingenua

Sinopse do espetáculo
Em uma fazenda do interior vive um casal de velhinhos, que tem como animal de estimação uma gata pra lá de preguiçosa. Nessa casa surge um rato que vive devorando a dispensa da fazenda, o casal se vê num problema que não sabem como resolver, assim eles ordena que a gata capture o rato, caso contrário, ela irá morar na rua. A gata, assustada com a situação se vê obrigada e caçar o roedor, porém, por ser preguiçosa e ingênua, nunca aprendeu a ler e escrever, por isso não sabe o que é um rato. E a partir daí, a gata ingênua se mete em grandes confusões e busca o astuto roedor.

Histórico da Companhia
A formação da Cia Teatral Aos Quatro Ventos teve inicio em 2010 a partir de cursos livres de iniciação teatral ministrados no Centro Cultural Arte em Construção, sob a coordenação de Marcos Kaju, ator do Grupo Pombas Urbanas.
Em 2011, o diretor cubano Rolando Hernandéz (Catedra de Teatro José Marti), veio ao Brasil para participar do projeto “Revoada”: Por Uma Direção Coletiva de Teatro em Comunidade”, do Grupo Pombas Urbanas. Durante sua estadia, Rolando contribuiu com os processos de outros grupos do CCAC, dentre eles a Cia Teatral Aos Quatro Ventos, que inicia a partir de então, um estudo sobre o texto “El Gato Simple“ de Fidel Galbán Ramirez, dramaturgo e diretor cubano.
Fazendo uso do método das ações psicofísicas de Stanislavisky, o estudo contribuiu para a montagem de “A Gata ingênua”, primeiro espetáculo da Cia que é destinado a crianças e trata da importância da leitura e escrita. O grupo pesquisa uma linguagem lúdica e divertida que dialogue diretamente com seu público.

PROJETO “O PULO DA GATA INGÊNUA”

E com o patrocínio do Programa de Valorização de Iniciativas Culturais ( VAI 2014 ), a Cia. pretende realizar uma estreia e circulação do espetáculo “A Gata Ingênua” que é direcionado ao público infantil, esta peça fala de forma lúdica e divertida sobre a importância da educação formal. Estas apresentações serão realizadas em espaços culturais e educacionais das quatro zonas da cidade de São Paulo a fim de contribuir para o desenvolvimento cultural e aproximar o teatro e a educação.
                                                                     Equipe Blog do Maurício
(Gabriel Salgado / Gabriel Santana / Vinícius /Paulo)
Enzo Rodrigues

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

#MomentoLeitura


O Amor nos Tempos do Blog



Ariza tem treze anos, acabou de chegar à nova escola e já está perdidamente apaixonado. Para expressar o seu amor, além de tudo o que vive e sente, ele decide escrever um blog, “porque escrever [...] é a única maneira que encontrou para fazer com que os outros o escutem”. Lá, ele pode falar livremente sobre a garota de sorriso encantador que encontrou na biblioteca da escola, quando ia devolver O amor nos tempos d o  cólera, sua leitura de férias de que tanto gostou.

Assim começa a trama de O amor nos tempos do blog, um romance que se constrói de blog em blog, em que, depois de muitos desencontros, três histórias se cruzam, culminando em um final surpreendente. Além do blog de Ariza, há também o da Deusa Cibernética, uma garota que, segundo sua própria descrição, é divina, divertida e popular, gosta de frequentar o shopping com as amigas e está sempre de olho no menino mais gato do momento, e o de Cinderela Virtual, “uma adolescente que acredita no amor”, não liga para a aparência e espera encontrar o seu príncipe encantado.

É a linguagem rápida e dinâmica da internet que une os três personagens desta história e vai aos poucos revelando semelhanças e ligações inesperadas entre estes três adolescentes aparentemente tão diferentes, com características muitas vezes opostas e particularidades que se revelarão sós ao fim da narrativa.
Esse livro parece minha vida.  JJ

Ficha técnica

Titulo: O AMOR NOS TEMPOS DO BLOG
Autor: Vinicius Campos
Editora: Companhia das Letras


www.companhiadasletras.com.br


Quadrinho


Equipe Blog do Maurício
(Davi/ Erick/ Gabriel Rodrigues/Kaynã)
Enzo Rodrigue

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

#PlanetaVerde


Infelizmente nossa escola


Na nossa escola muitas carteiras estão quebradas e pichadas.

Ainda analisando as salas percebemos janelas quebradas, prateleiras quebradas, lousas e paredes pichadas.

No final ficamos com salas feias, faltas de carteiras e cadeiras para os próprios alunos sentarem.
Com essas imagens vimos que nossa escola esta ficando feia, então vamos começar a preservar e cuidar para a melhorar nossa escola, assim com a ajuda de todos poderemos ter uma escola de qualidade.

Equipe Blog do Maurício
(Aleksandra / Natália / Evelyn)
Enzo Rodrigues

terça-feira, 26 de agosto de 2014

#NaRua



Trabalho Colaborativo Autoral nas escolas, bom ou ruim?!

Muitos alunos andam reclamando que é somente mais uma “invenção” tola que o governo inventou.
As pessoas têm meios diferentes de ver as coisas, mas em nossa opinião o TCA é um meio de fazer os alunos enxergarem o que existe ao seu redor com outros olhos e intervir para mudar o necessário.
Não é qualquer coisa que existe no bairro que serve de inspiração para o trabalho, mas aqui onde moro, tem questões interessantes que servem para a conclusão de uma nova opinião!
Veja algumas coisas boas:
1°Nos moramos em um bairro que tem diversidade, a maioria das pessoas aceita uns aos outros do jeito que são e isso não tem em todo lugar;
2°A Cidade Tiradentes é um bairro que tem bastantes áreas verdes, tem uma Etec , algumas escolas de idiomas , e espaços culturais , que não são tantos mas não deixam de fazer parte do bairro.
3°Temos professores de excelente qualidade e boa qualificação.
4°As escolinhas de futebol tem treinadores bons , e que de certa forma afasta muitos jovens da vida do crime!
Temos ainda muito mais e com o Trabalho Colaborativo Autoral temos a possibilidade de aprender sobre onde vivemos e entender como as pessoas se relacionam com esse espaço.

Respondendo a pergunta que iniciou o texto temos a certeza que com esse trabalho poderemos perceber o nosso papel neste espaço e fazer a intervenção para melhorá-lo a cada dia.


Observação: O Trabalho Colaborativo Autoral vem sendo desenvolvido nas escolas públicas municipais (7º ao 9º anos), começando neste ano e deverá ser apresentado o resultado final no final do ano para conclusão do Ciclo.


Equipe Blog do Maurício
(Ester / Jaqueline)
Enzo Rodrigues