Pages

Páginas

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

#Metrólope



Exposição Salvador Dali
Resenha por Laura Ming


A retrospectiva do artista espanhol tem tudo para se tornar a nova mostra mais badalada da cidade. No fim de semana de estreia,  muita gente que chegou por volta do meio-dia ao Instituto Tomie Ohtake só conseguiu entrar às 17h. Mas sem grandes dramas. A organização do evento criou um sistema de senhas para evitar que as pessoas fiquem amargando de pé na fila, como aconteceu na exposição da japonesa Yayoi Kusama. Elas são distribuídas a partir das 10 da manhã para três horários: 11h, 14h e 17h. Vale, sim, a pena se organizar para ver as 218 peças exibidas. Elas apresentam um Dalí minucioso (chegou a pintar com pincéis de duas cerdas e auxílio de uma lupa) e sóbrio, que passou pelo cubismo e pelo impressionismo antes de se encontrar no surrealismo. Entre as 24 telas há preciosidades como A Memória da Mulher-Menina, uma das primeiras no estilo, na qual se nota o árido e aflitivo mundo dos sonhos do artista. A abrangência dos trabalhos surge em belas gravuras pouco conhecidas que ilustram livros como Alice no País das Maravilhas ou fazem releituras impossíveis de desenhos botânicos do século XVIII. Infelizmente, pouco espaço foi dedicado ao seu lado marqueteiro, tão criticado quanto divertido. A Sala Mae West reproduz uma instalação inspirada na atriz americana e rende boas selfies, porque cria a ilusão de “entrar” na obra. Para ela, há uma fila à parte de, pelo menos, quarenta minutos. De 19/10/2014. Até 11/1/2015.
Até 11 de janeiro
Rua Dos Coropés, 88 - Pinheiros - São Paulo - SP - Tel.: (11) 2245 1900
http://vejasp.abril.com.br/atracao/salvador-dali-instituto-tomie-ohtake
Já que não surgiu nenhum convite para o cineminha quem sabe em ir a essa exposição?
Estamos apenas esperando seu convite.
Afinal somos a companhia ideal. 
Equipe Blog do Maurício
(Gabriel Santana/ Gabriel Salgado / Vinícius)
Enzo Rodrigues

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

#MomentoLeitura


MINHA CASA MAL-ASSOMBRADA


Em”'Minha casa mal-assombrada”, primeiro livro da série 'Araminta Fantasmim', Tábita está determinada a vender a casa da família. Trata-se de uma mansão velha e mal-assombrada que demanda dela muitos cuidados, ainda mais porque seu marido não a ajuda em nada. Entretanto, sua sobrinha, Araminta, está disposta a impedir que tia Tatá e o imprestável tio Drac concluam a venda.

                                                          Ficha técnica
                                 Título: Minha casa mal - assombrada
                                                    Autor: Angie Sage
                                                     Editora: ROCCO 
Ficou curioso?
Nós ficamos e gostaríamos de sugerir esse livro para sua próxima leitura.
Boa leitura.

Você aceitaria esse reforço?

Equipe Blog do Maurício
(Davi/ Kaynã /Gabriel Rodrigues/ Juancarlo/Erick)
Enzo Rodrigues

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

#PlanetaVerde


Lixo Urbano
O aumento populacional nas cidades, aliado a uma sociedade extremamente consumista, faz gerar vários problemas ambientais. O lixo urbano é um desses problemas, ele pode ser de origem domiciliar (sobras de alimentos, papéis, plásticos, vidros, papelão), origem industrial (apresenta constituição variada, entre gasosa, líquida ou sólida), o hospitalar (seringas, agulhas, curativos, gazes, ataduras, peças atômicas, etc.) e o lixo desse século: o tecnológico (pilhas e aparelhos eletrônicos em geral).

Lixão a céu aberto
A destinação final do lixo nem sempre ocorre de forma correta, o lixo hospitalar, por exemplo, deve ser incinerado, queimado em forno de micro-ondas ou tratado em autoclave (esterilização por meio de vapores) e ser isolado da população, porém, parte desse lixo é depositada em lixões a céu aberto, o que pode causar a proliferação de doenças.
Mas não é só o lixo hospitalar que gera problemas para a população e o meio ambiente, durante o processo de decomposição da parte orgânica biodegradável do lixo (restos de alimentos) ocorre a liberação de gases poluentes, o que ocasiona a poluição do ar, além do chorume (liberação da umidade contida nos resíduos orgânicos), que polui o lençol freático.
O lixão desprovido de estrutura ideal para tratamento do lixo tem como consequências: a poluição do solo, das águas superficiais e subterrâneas, além da poluição atmosférica. Outro agravante é a proliferação de doenças como diarreia, amebíase, parasitose, entre outras.
O destino adequado para o lixo urbano é o aterro sanitário, com estrutura para o tratamento dos gases e do chorume. Outra alternativa é a incineração, que também deve conter sistemas de tratamento para os gases liberados. Mas o processo de incineração e a implantação de aterros sanitários para o tratamento de grandes quantidades de lixo são caros, por isso é necessário que haja a conscientização da população, de forma que produza menos lixo, o que pode ocorrer através de ações como a coleta seletiva e a reciclagem.
A coleta seletiva do lixo é uma prática fácil e que contribui bastante para a redução do lixo destinado aos aterros. Outra solução para o lixo é a reciclagem, uma forma de colaborar com o meio ambiente e obter dinheiro.
No Brasil, aproximadamente 80% das latinhas de alumínio são recicladas, contribuindo para a redução de utilização da bauxita, que é a matéria prima necessária para se obter as latas de alumínio. Mas a principal atitude a ser tomada é a redução do consumismo e do desperdício.

Quadrinho

Equipe Blog do Maurício
(Juliana / Aleksandra /Juancarlo/Paulo)
Enzo Rodrigues